INVESTIMENTO DEVE SER UMA CONTA PARA PAGAR E NÃO SOBRA!

Investimento é uma palavra tão interessante e mexe tanto com as emoções das pessoas, que até quem tem dívidas ou é um superendividados, também sonha um dia estar do outro lado da mesa, porém, como sempre comentamos em nossos artigos, para quem tem dívidas o melhor investimento neste caso, é sempre pagá-las até porque nada que aplique atualmente supera as altas de juros cobradas pelo cheque especial, empréstimos pessoais ou pelo rotativo do cartão de crédito.

Você já deve ter ouvido diversas vezes que é preciso sobrar dinheiro para investir, mas quando o investimento é algo ocasional e não intencional, quase nunca sobra dinheiro para fazê-lo. Um exemplo disso é que quando sobra comida no prato a maioria das pessoas joga o restante na lata do lixo. Isso não é muito diferente quando falamos em ”investir” recursos que restam na conta corrente.

Tal situação é tão verdade, que quando sobra algum dinheiro na conta, muitos tratam de arrumar um jeito de gastá-lo rapidamente, seja comprando um sapato ou uma roupa nova, seja saindo para jantar fora ou mesmo entrando numa agência de turismo e comprando um pacote a perder de vista, acrescentando mais uma prestação ao salário e colocando mais fermento na massa chamada DÍVIDAS.

Diante disso, podemos concluir que ao invés de criarem uma reserva financeira de alguns meses de suas despesas mensais, muitos acabam deixando de lado esse primeiro e importante investimento: a construção de uma Reserva Financeira.

Segundo pesquisas recentes, menos de 20% das pessoas conseguem viver mais de 06 meses com recursos poupados em caso de perda de sua principal fonte de renda.

Responda à pergunta abaixo e veja em qual das 03 opções você se enquadra e reflita sobre a administração de sua vida financeira atual. Vamos lá:

Outra coisa que muitos não se atentam é que uma das melhores maneiras de se ganhar dinheiro é deixar de perdê-lo, porém, milhares de pessoas perdem fortunas ao pagar taxas, multas e juros, como se fosse normal pagá-los, enchendo os bolsos de dezenas de instituições financeiras biliardárias. Mesmo em um momento de crise financeira que assola o país, foram as que menos reclamaram de perdas de lucros.

É sempre importante ressaltar que este dinheiro gasto em taxas, multas e juros, não é para viajar, não é para almoçar ou jantar fora no fim de semana, para doar a sua igreja ou para comprar presentes, mas sim, é dinheiro literalmente jogado fora!

Portanto, o investimento deve ser sim uma conta para se pagar, assim como um boleto de água, luz, telefone, celular, escola dos filhos, condomínio, etc.Ele deve ser carimbado para que todo mês você pague primeiro a si mesmo (a), pois, no final das contas quem é a pessoa mais importante desse mundo? Você mesmo!

Investir é também uma questão de hábito. Assim como se gera endorfina (hormônio responsável pela sensação de felicidade) com o ato de comprar ou gastar dinheiro, ao se investir, nem sempre temos essa sensação imediata agradável, porém, a médio e longo prazo o benefício de estar planejado e de ter construído um alicerce financeiro, supera em muitas vezes a insegurança de viver sem uma reserva mínima para situações emergenciais ou para enfrentar crises financeiras pessoais passageiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *